PUB
mascote
Banner Favoritos
PUB


Conto erótico: No meio da floresta

Era mais um dia normal, eu não aguentava mais o chalé, precisava sair pra andar...

Eu realmente precisava terminar de escrever meu livro mas naquele momento eu não tinha inspiração alguma. Era bem cedinho, em torno de seis da manhã, deixei um bilhete para o meu irmão avisando que eu estava saindo para caminhar.

Coloquei uma roupa e me agasalhei porque estava um um pouco frio. Eu não conseguia mais pensar em nada, havia passado a noite toda escrevendo. Decidi pegar a trilha que levava até o penhasco que havia há alguns quilômetros dali, deixei o bilhete em cima da minha cama e saí.

Caminhar um pouco estava me ajudando a me acalmar, eu já conhecia o caminho muito bem, após vinte minutos de caminhada eu cheguei ao início da trilha, havia uma placa de madeira mofada mostrando a direção, comecei então a subida até o penhasco.

Muito concentrado em meus pensamentos não me atentei muito a barulhos externos então segui minha caminhada, até ouvir uma suave risada feminina, olhei para os lados e para trás mas não vi ninguém. Segui caminhando, a partir daquele momento comecei a me atentar mais aos barulhos ao meu redor, foi quando ouvi passos à minha esquerda, o caminho até o penhasco seguia à direita, por minha curiosidade decidi seguir pela esquerda.

A cada passo cuidadoso meu eu me aproximava mais dos passos misteriosos até que cheguei a uma árvore bem grande e cheia de folhas verdes, parei e tentei descobrir para onde os passos misteriosos haviam ido, fiquei parado ali por cerca de cinco minutos, quando não ouvi mais nada decidi me sentar nas raízes daquela árvore.

Fechei meus olhos por um instante e ouvi alguns galhos se quebrando a distância, quando os abri novamente na direção do ruído ví uma linda moça, com a pele um pouco pálida mas com bochechas e lábios rosados, ela tinha cabelos compridos e loiros, e apesar de seu rosto angelical ela vestia uma roupa toda preta.

Por alguma razão quando a vi não fiquei com medo, mas fiquei vidrado, como se ela estivesse me hipnotizando, ela começou a se aproximar com um sorriso pretensioso, me despindo com os olhos. A cada passo ela se aproximava mais de mim, e eu não conseguia me mover, nem mesmo falar.

Ela se aproximava cada vez mais, até que estar de pé na minha frente, a única coisa que eu conseguia mover eram meus olhos, que estavam presos nos dela, com lindos e profundos olhos castanhos, ela se ajoelhou na minha frente e me olhou e mordendo os lábios.

Meus músculos começaram a tensionar, eu estava paralisado e sem entender o que estava acontecendo, depois de me olhar fixamente ela começou a se despir, ela começou com a parte de cima, tirou a blusa e revelou lindos seios com grandes e rosadas aureolas, eu estava em choque, não sabia o que fazer e não sabia a razão desta linda mulher estar se despindo em frente de um desconhecido.

Ela continuou se despindo lentamente em minha frente, dessa vez com a parte de baixo, me deixando cada vez mais confuso e excitado. Ela então prosseguiu a se masturbar na minha frente, deslizando seus dedos tocando o seu clitoris e inserindo dois dedos em sua vagina, quanto mais ela brincava com seu corpo e gemia na minha frente mais excitado eu ficava até que minha ereção era visível.

Quando ela notou minha ereção deu uma risada sensual e engatinhou até sentar entre minhas pernas, que estavam esticadas, ela abriu o meu zíper e começou a me tocar, as sensações que eu estava sentindo naquele momento eram indescritíveis, nenhum parceiro ou parceira sexual que eu já tivera se comparavam ao toque dessa mulher misteriosa.

Meu corpo estava completamente imóvel e ela me masturbava enquanto brincava com sua vagina. Ela então decidiu descer lentamente até que sua boca encontrou meu pênis e seus lábios eram os mais macios que já senti em toda minha vida, as ondas de prazer que ecoavam em meu corpo eram aparentes, naquele momento consegui mover meu pescoço mas meus braços e pernas ainda estavam imobilizados.

Um pouco antes que eu atingisse o orgasmo ela parou e eu não conseguia expressar o quão satisfeito eu estava, seus olhos me fitaram e ela então pode falar as seguintes palavras “Sua vez”. Deitada sob suas roupas que estavam no chão ela mexeu as mãos e eu pude sentir o completo controle sobre meu corpo novamente.

Nunca estive tão feliz por poder mover meus braços e pernas, me posicionei em cima dela e comecei a beijar o seu pescoço, fui descendo cada vez mais até chegar em sua vagina, dei o meu melhor e os gemidos que saiam da boca dela mostravam o quão satisfeita ela estava com o meu desempenho.

Depois de fazê-la alcançar orgasmo ela me deitou sob suas roupas e sentou em cima de mim, encaixando meu pênis em sua vagina e movimentando de forma cadenciada. Depois de um tempo nessa posição decidi levantar e colocá-la contra aquela árvore, ela cravou suas unhas em minhas costas deixando sua marca em mim, senti uma dor muito prazerosa que só me deixou mais excitado.

Com cada gemido dela em meu ouvido o clímax se aproximava até que finalmente ambos gozamos. Com sua respiração ainda ofegante ela esticou suas roupas no chão próximo aquela árvore e se deitou, me convidou para deitar ao lado dela e eu fui de bom grado. Com ela deitada e em meu braços acabei dormindo.

Quando acordei eu estava em minha cama na cabana, tudo não passara de um sonho pensei, ainda um pouco atordoado notei que estava todo suado e resolvi tomar um banho, quando tirei minha camiseta senti uma leve dor nas costas, e quando olhei no espelho os arranhões dela estavam lá.

Não entendo o que aconteceu até hoje, se aquilo de fato acontecera ou se foi apenas um sonho, o bilhete em minha cama nunca foi achado mas seus arranhões em minhas costas deixaram marcas que permanecem até hoje.