PUB
mascote
Banner Favoritos
PUB


Conto erótico: Eu e meus melhores amigos

Olá, o meu nome é Lucas, tenho 18 anos e a história que contarei a vocês aconteceu no ano passado quando eu e meus amigos estávamos voltando da escola...

Estava sendo o nosso último ano na escola, já que estávamos terminando o terceiro ano do ensino médio, então aproveitamos o máximo possível de lá.

Faltava uma semana para a entrada das férias do mês de julho, aquela semana era apenas de palestras e gincana referente ao Grêmio Estudantil da escola.

Não imaginei que naquele mês ia acontecer uma coisa imaginável entre eu e meus dois amigos que não largavamos-nos uns dos outros.

Um deles se chama Luiz, 17 anos, mais ou menos 1,80 de altura, porte físico definido, cabelos castanhos, pele clara e olhos azuis da cor do céu.
O outro se chama Mateus, também 17 anos, 1,70 de altura, porte físico magro, cabelos crespos, moreno e olhos da cor castanho.

Sempre fomos de pegar muitas meninas na escola, pois éramos considerados os famosinhos de lá, então automaticamente éramos os mais conhecidos.

Sempre contamos tudo uns para os outros, das meninas que pegávamos, das transas e até do número de punhetas que batíamos no dia.

O tempo foi passando, então chegou o último dia de aula do mês de julho, foi o dia que mais falamos de putaria, demos muitas risadas aquele dia.

Na hora de ir embora, todos nós íamos pelo mesmo caminho, já que moramos um perto do outro. No meio do caminho, começou a dar uma chuva forte.
Então eu e eles avistamos uma construção abandonada, fomos correndo se esconder da chuva lá, na verdade foi como um temporal.

Sabíamos que aquilo ia demorar, então começamos a relembrarmos das putarias que estávamos falando dentro da sala de aula.
Automaticamente, todos nós começamos a ficar de pau duro, então Mateus, o mais safado, deu a ideia de começarmos a bater uma punheta para aliviar o tesão.
Todos nós concordamos, já que éramos bem íntimos, mas ia ser a primeira vez que iríamos ver o pau uns dos outros - confesso que fiquei meio nervoso.

Eu sempre fui meio tarado de ver rolas em filmes pornográficos, ficava impactado com cada tamanho e forma de pau que eu via nos vídeos, sempre ficava com tesão em ver.

Mateus foi o primeiro a abaixar a sua roupa - seu pau era de tamanho médio, mais ou menos uns 16 cm, porém era muito bonito, rosado e meio torto para a esquerda.

Então, para acabar logo com a vergonha, eu fui o segundo, o meu pau tem 17 cm reto, meio curvado para cima - eu achava que o meu era o maior, mas tive uma surpresa!

Luiz começou a tirar a sua roupa e quando ele tirou, eu e Mateus ficamos impressionados com o tamanho do pau do nosso amigo, ele era um cavalo.
Eu estava com muita curiosidade de saber o tamanho, então eu perguntei e ele disse que tinha 21 cm de pênis - fiquei impressionado e com vontade de pegar para sentir aquele membro em minha mão.

Eu e Matheus não conseguíamos parar de olhar para a rola de Luiz e ele percebeu isso - não sabia, mas Mateus também era meio tarado por pau.
Então, do nada, Luiz perguntou se nós queríamos chupar ele para sentir a rola na boca nossa - eu e Mateus olhamos um para o outro e não falamos nada.

O nosso amigo pauzudo chegou perto de Mateus e colocou a sua mão na cabeça dele e foi forçando a ele se abaixar - Mateus não tentou lutar contra aquilo.

Fiquei impressionado de ver aquela cena e vi aos poucos o meu amigo abocanhar o pau de Luiz - ainda ele chupava com muita vontade, parece que queria muito aquilo.

Quando achei que Luiz tinha acabado, ele pediu para se aproximar - também não lutei e fui, pois eu estava com muito tesão. Do nada, ele aproximou os lábios dele aos meus.
Não hesitei, então comecei a beijá-lo loucamente e Mateus começou a chupar o meu pau também - ele chupa muito bem, estávamos adorando!

Eu estava com muita vontade de chupar a rola de Luiz também, então eu me abaixei aos poucos e comecei a chupá-lo - que rola gostosa! Chupei até me engasgar.

Então, senti uma vontade enorme de chupar dois paus ao mesmo tempo e comecei a introduzir o pau de Matheus em minha boca - os dois deliravam de tesão, gemiam muito alto.

Depois de um tempo, Luiz perguntou se algum de nós tinha coragem de dar o cu para ele - não pensei duas vezes e falei que eu deixava e os dois arregalaram os olhos de surpresos.

Então, fiquei na posição de quatro com as mãos na parede, Luiz começou a penetrar devagar o seu pênis em meu ânus. Senti muita dor no começo.
Mas com o tempo, o meu cu foi relaxando, facilitando assim a entrada do enorme pau de Luiz. Depois que a dor passou, o sexo começou a ficar muito bom. Fiquei louquinho!

Então, Mateus falou para eu chupar o pau dele enquanto Luiz me comia. Claro que fiz o que ele me pediu, ele não tinha vontade de dar para o Luiz, então me pediu também para me comer.
Eu deixei e assim os meus amigos trocaram de lugar. Por mais que o pênis de Mateus era menor, ele metia muito gostoso, tinha umas reboladas de vai e vem muito boa.

Virei a putinha de meus amigos! Eles fizeram tudo o que eles queriam comigo - a única coisa que eu não deixei eles fazerem foi gozar na minha boca.
Então, nós três gozamos, ficamos muito cansados e mesmo depois do sexo, eu sentia o pau dos dois em meu cu. Foi tudo muito bom.

A chuva passou, então fomos para as nossas casas. Todos nós demos risada do que aconteceu, mas juramos segredo entre nós.

Confesso que fiquei com medo deles me zoarem depois. Fiquei pensando por uma semana inteira naquilo e quando menos eu esperava, Mateus e Luiz me chamaram no meu portão de casa.
Eles pediram para a minha mãe deixar eu ir jogar videogame na casa de Mateus. Ainda bem que a minha mãe deixou, então eu fui.

Chegando lá, os pais de Mateus tinham ido viajar. Ele estava sozinho, então foi ali que percebi que eles não tinham me chamado para jogar vídeogame e sim para fazer putaria.

Começamos a fazer tudo aquilo que fizemos aquele dia, mas, desta vez, eu deixei os dois gozarem em minha cara. Foi bem melhor e mais demorado que no dia da chuva.

Fazemos isso até hoje sempre que nos encontramos e o legal é que nenhum de nós se zuamos por conta disso, apenas aproveitamos para liberar o nosso tesão.

Não sei quanto tempo isso durará, espero que continue por muito tempo, pois já não sei ficar sem fazer sexo com os meus amigos e nem eles comigo.