PUB
mascote
Banner Favoritos
PUB


Conto Erótico: O dia em que comi a gostosa da minha Mãe

Meu nome é André, tenho vinte e sete anos, 1,77 de altura, sou branco, cabelos loiro escuro, olhos castanhos escuro. Não tenho um tanquinho, mas tenho o corpo bem definido.

Sempre tive um bom papo com as mulheres, tem algo em mim que as atrai.

Eu curto muito ir viajar, acampar, praia é a minha paixão. Moro com meus pais e trabalho na imprensa da minha família.

Desde adolescente gostava de sair pra conhecer coisas novas, o que deixava meus pais loucos comigo. Com um tempo eles se conformaram e passaram a me dar mais apoio nas viagens. Quando eu viajava me sentia livre.

Minha mãe e meu pai, apesar de parecerem um casal perfeito, sempre brigam muito, isso desde quando eu era pequeno. Meu pai sempre teve muitas mulheres, é viciado em garotas de programa. Quando minha mãe descobria ele dava um tempo, mas pouco tempo depois eu descobria algo novo, não falava pra não causar mais brigas entre eles. Inevitavelmente, mais cedo ou mais tarde, minha mãe acabava descobrindo.

Pra ser bem sincero, eu tinha muita pena dela. Uma mulher tão bonita! Meu pai era consideravelmente homem feio, as mulheres que ele tinha era por conta do dinheiro que ia com ele. Minha mãe se casou com ele com 18 anos, a família impôs que ele seria o marido dela e ele foi.

Minha mãe é loira dos verdes, uma bunda bem grande e seios gigantes e lindos. Eu realmente acho que meu pai tem vício em garotas de programa - as mulheres que ele sai, não chegam nem aos pés dela!

A porta do quarto da minha mãe é do lado da porta do banheiro. Várias vezes fui no banheiro e via minha mãe com camisolas ousadas. Ela ficava sempre com a bunda pra cima. De madrugada, várias vezes quando fui no banheiro sem acender as luzes, via ela mexendo na buceta com o meu pai dormindo do lado.

Há oito meses, a minha mãe descobriu uma nova amante e expulsou o meu pai de casa, ficando apenas eu e ela, e meu irmão mais novo.

Meu quarto era no fim da casa, longe do quarto da minha mãe, do meu irmão e do banheiro. Aproveitava isso para levar as garotas que eu conhecia sem que minha mãe visse. Ela dizia que não era motel para cada dia levar uma! Com um tempo passei a comer a garotas dentro do carro na garagem, até que um dia...

Eu tinha chegado muito bêbado, tinha tomado estaze, misturado um monte coisas... Estava muito excitado e não conseguia dormir. Para ajudar, atrás da minha casa tem uma escola, da janela do meu quarto dava pra ver a quadra toda e à noite a molecada aproveita  para fazer algumas orgias.

Nesse dia, dois moleques estavam comendo uma garota. Ela gemia muito alto, às vezes parecia que ela estava chorando, mas devia ser de tesão por que ela gritava que estava uma delícia!

Eu tirei a roupa e fiquei de cueca, de pé na frente da janela assistindo a galera transar e mexendo da cabecinha do pau. De repente, minha mãe apareceu na porta do quarto, ela  estava com uma camisola extremamente curta, dava pra ver a polpa da bunda toda!

Quando ela começou a falar percebi que ela tinha bebido. Ela é fã de cerveja. Nesse dia, ela bebeu bastante, estava falando um pouco estranho, não sei se era eu que estava muito chapado, mas algo estava diferente...

Ela disse que foi ver se eu estava com alguma vadia no quarto, eu disse que era na quadra da escola e apontei. Ela entrou na minha frente, a bunda dela ficou encostada no meu pau duro. Ela ficou fumando cigarro e assistindo. Meu pau começou a latejar, do nada ela começou a rir e disse que iria trocar de quarto comigo, disse que o meu era menor, mas tinha sexo ao vivo, que não precisaria de pornô. Eu fiquei surpreso, mas não disse nada.

Ela começou a se mexer e se esfregar no meu pau, eu fiquei quieto e deixei ela se mexer. Estava com tanto tesão que parecia que eu ia gozar a qualquer momento. Não resisti e coloquei o pau pra fora da cueca. Estava muito duro e ficou apontando para cima. A camisola era muito curta e meu pau passou direto por ela e ficou entre a bucetinha e o cuzinho. Ela rebolava e eu ficava cutucando o pau na buceta dela. Dava pra sentir que ela estava toda molhadinha! A cabeça do pau até doía de vontade de por pra dentro quando de repente senti a calcinha indo pro lado...

Ela estava mexendo no grelinho... Nossa! Não pensei duas vezes e tratei de empurrar para dentro, entrou até a metade de uma vez só.

Meu pau deslizava na buceta molhadinha dela. Tirei a camisola e comecei a apertar aqueles peitões deliciosos. Virei ela de frente para mim, abri a perna dela e comecei a comer ela de pé. Ela começou a me beijar. Eu mordiscada e chupava aqueles peitos...

Já fiquei com muita mulher gostosa, gostosa de verdade, e minha mãe não ficava atrás! Ela tinha uma bunda perfeita e os peitos tão lindos que dava vontade de gozar neles!

Ela pediu pra eu comer ela de quatro e assim eu fiz. Ela colocou aquele rabão pro alto e soquei meu pau todinho. Ela gemia muito gostoso, bem baixinho, mas me deixou louco.

Ela abria e fechava a bunda quando rebolava, dava pra ver o cuzinho piscar. Tirei meu pau de dentro dela e comecei a chupar o cuzinho.

Quando voltei a foder a buceta dela enfiei dois dedinhos no cuzinho. Ela não aguentou e gozou no meu pau. Dava pra sentir as pernas dela se contorcendo! Não resisti e gozei também!

A melhor trapaça que já dei, uma buceta inesquecível.

No outro dia, ela fez como se nada tivesse acontecido, eu fiz o mesmo. Estou esperando ansiosamente ela usar meu pau para se satisfazer de novo. Quando isso acontecer volto a escrever.