PUB
mascote
Banner Favoritos
PUB


  • Início
  • Blog
  • Sexo
  • Quer trabalhar como acompanhante? O que refletir antes de dar esse passo
Trabalhar como acompanhante

Infelizmente, o nosso país não facilita a vida das moças que têm o desejo de trabalhar como acompanhantes. A profissão, apesar de não ser “puro glamour”, também não é uma profissão ruim, viu? Ela é responsável por manter a autoestima e a conta bancária de muitas moças lá nas alturas.

Por isso, muitas mulheres têm vontade de trabalhar nessa profissão, apesar de ela ser proibida no Brasil. E não é a proibição que faz com que esse tipo de trabalho deixe de existir. Mas isso faz com que as pessoas tenham que refletir um pouco mais antes de encarar os desafios.

E você, quer trabalhar como acompanhante? Trazemos aqui nesse texto algumas perguntas sobre as quais você deve refletir para ter certeza se esse é o trabalho ideal para você. Vem conferir as nossas perguntinhas e pensar consigo mesma um pouquinho.

Quer trabalhar como acompanhante? Vem fazer uma pequena reflexão antes!

1 – “Eu realmente quero trabalhar como acompanhante?”

Não se sinta forçada a trabalhar como acompanhante, seja pelo dinheiro ou por qualquer outro tipo de pressão externa. Só o faça se essa decisão deve partir de dentro de você mesma. E decida visando o seu bem-estar acima de tudo.

Se você acha que vai se sentir bem trabalhando nessa profissão e não sente nenhuma pressão externa para tal, é um ponto positivo!

2 – “Eu aceito a ideia de ser paga para ter sexo com outra pessoa?”

Existem pessoas que são criadas com uma visão muito fechada sobre o trabalho das acompanhantes. Esse trabalho pode ser visto como um pecado do ponto de vista religioso ou como uma profissão sem escrúpulos pelo ponto de vista de pessoas mais moralistas.

Qual é a sua visão sobre a profissão? Se você quer trabalhar como acompanhante isso é algo sobre o que você deve refletir. É essencial que você tenha a mente muito aberta sobre o assunto e, principalmente, para entender a ideia de ser paga para transar com alguém, sem nenhum apego emocional envolvido.

3 – “Minha família e meus amigos vão estar cientes sobre a minha profissão? Será que estou preparada para as reações deles caso descubram o meu trabalho?”

Esse é um ponto essencial sobre o qual quem quer ser acompanhante deve refletir. Afinal, é um ponto muito delicado a se tocar com a família e os amigos. Por mais que muitas pessoas afirmem ter a mentalidade aberta, quando as coisas acontecem com pessoas próximas, a maneira de lidar é diferente.

Pense bem se o seu relacionamento com a sua família e com os seus amigos ficaria abalado caso eles saibam o que você faz para viver. E, além disso, considere como seria o seu preparo para lidar com isso.

Se você achar que as reações das pessoas que você ama vão ser tranquilas ou que você pode, tranquilamente, lidar caso alguém fique chateado (a) com você, vá em frente. Se considerar que pode magoar quem você ama e, consequentemente, se magoar muito, pense mais um pouco.

4 – “Minhas emoções estão preparadas para lidar com o fato de ser uma acompanhante?”

Se você quer trabalhar como acompanhante, deve pensar bem sobre o preparo do seu emocional para tal. Imagina só se você começa a transar com um cliente e começa a ter sentimentos por ele. Isso não seria nada agradável, não é?

Por isso, tenha certeza de que não vai se deixar levar por emoções no seu trabalho. Se você é uma pessoa que sobre com carência afetiva e se apaixona ou se apega com muita facilidade, essa pode não ser a profissão ideal para você.

5 – “O que me leva a querer ser acompanhante? Dinheiro ou diversão?”

Existem muitos motivos que podem levar as mulheres a quererem trabalhar como acompanhantes. Antes de dar esse passo, descubra o seu! Afinal, isso é muito importante para que você trace os seus planos para o futuro.

Se o que você quer no seu trabalho enquanto acompanhante é se divertir, conhecer pessoas novas, se sentir sexy e transar bastante, você está no caminho certo! Procure estar sempre segura nos seus encontros e se divirta, de quebra, ganhando dinheiro para tal.

Se os seus planos são somente financeiros, primeiramente, considere se não ferirá os seus princípios somente por dinheiro. Caso decida seguir em frente, trace planos para que, quando atingir a sua independência financeira (ou qualquer que seja o seu objetivo), possa optar por alguma outra profissão (se quiser).

Concluindo...

Para você que quer trabalhar como acompanhante, mas ainda não teve coragem de dar esse passo, espero que essa pequena reflexão tenha sido útil. Aproveite para pensar um pouco sobre quais são os seus objetivos para a sua vida e se esse trabalho se enquadra com o seu perfil.

Se a resposta for positiva e você decidir seguir em frente, temos uma série de posts aqui no blog sobre o anúncio. Acompanhe para estar devidamente informada para os seus próximos passos!