PUB
mascote
Banner Favoritos
PUB


Identidade de Gênero vs Orientação Sexual

Existem termos que diferenciam muitas coisas na nossa sociedade e, apesar de muitas acharem que identidade de gênero e orientação sexual sejam as mesmas coisas, na realidade, mostram aspectos diferentes sobre cada indivíduo.

É necessário que todo mundo entenda a diferença dessas duas coisas e, se você for uma dessas pessoas que ainda não entende muito sobre isso, pode se manter tranquila, pois, iremos explicar tudo o que você precisa saber sobre isso!

Conceitos e palavras diferentes “embananam” a mente das pessoas, mas quando você consegue diferenciar essas coisas, tudo começa a se tornar bem simples, até mesmo a forma como você se enxerga na sociedade, como você se identifica como sujeito.

O que é gênero?

A palavra “gênero” foi usada há muito tempo atrás como uma expressão, isto é, o que difere os homens e as mulheres no contexto social num geral.

Existe o conceito de transgênero, que é o sujeito que não se identifica com o sexo biológico de si mesmo, criado pelo psicólogo John F. Oliven. A verdade é que apesar de simples, a discussão sobre gênero envolve diversos fatores.

Iremos explicar abaixo um pouco sobre o que significa a Identidade de Gênero, que vai incluir Cisgênero e Transgênero. Abaixo, em tópicos, você entenderá os dois conceitos:

  • Transgênero: Pessoa que se identifica com o gênero oposto ao qual nasceu. Por exemplo: se você nasceu mulher, se identificará como um homem e vice-versa. Algo interessante sobre as pessoas transgênero é que uma mulher trans, pode ser bissexual ou então, homossexual. Há, também, mulheres trans heterossexuais, por exemplo. E funciona da mesma forma com os homens.
  • Cisgênero: Pessoa que se identifica com o sexo biológico que nasceu. No entanto, não necessariamente será uma pessoa heterossexual.

O que é a Orientação Sexual?

A Orientação sexual vai depender de muitos fatores, pois, existem várias orientações sexuais. A comunidade LGBTQI+, por exemplo, tem como cada sigla uma orientação diferente. É isso que explicaremos a seguir.

Grande parte da população tem uma orientação sexual diferente, no entanto, o que traz a complicação e a luta entre todas essas orientações é o preconceito, algo que pouco a pouco vem sido combatido.

Basicamente, a orientação sexual é a forma como você se atrai, ou seja, se você é um homem e se atrai por homens, se é homem e se atrai por mulheres e no caso das mulheres, o princípio é o mesmo.

Iremos explicar para você o que cada orientação sexual e seus significados para que assim, você consiga diferenciar cada uma da maneira correta.

  • Homossexual: Pessoa que sente atração pelo mesmo gênero.
  • Heterossexual: Pessoa que sente atração pelo sexo oposto.
  • Bissexual: Com o prefixo “bi”, temos a palavra que é designada para pessoas que sentem atração pelo mesmo sexo e, também, pelo sexo oposto.
  • Assexual: Sobre as pessoas assexuadas, ainda há muita discussão acerca do tema, especialmente porque ainda não existe uma resolução sobre o assunto, mas representa alguém que não sente atração por nenhum dos gêneros.

Evite termos incorretos ao se referir às pessoas da comunidade LGBT

Muito comuns entre as pessoas com pouco conhecimento no assunto, existem alguns termos que as pessoas da comunidade LGBT ODEIAM e você precisa parar JÁ com esses erros, para evitar confusões desnecessárias!

Provavelmente, você já ouviu alguém dizer as palavras “homossexualismo”, “bissexualismo”, “transexualismo” ou “travestismo”, certo? Mas as palavras estão erradas, não é assim que você se refere às orientações sexuais.

Esses termos são muito problemáticos na nossa sociedade, pois o sufixo “ismo” está ligado a doenças. Em 1993, foi estabelecido um novo sufixo “dade”, representando as vivências de uma pessoa.

Portanto, fora considerado que a homossexualidade não é uma doença há muito tempo atrás pela Classificação Internacional de Doenças. Existia, antes dessa correção, tratamentos que prometiam “curar” pessoas homossexuais, os chamados tratamento de choque.

As pessoas LGBT já passaram por maus bocados nas mãos da sociedade, que na época, tinha pouco conhecimento para muito preconceito. Esses procedimentos que chamavam de tratamento eram desumanos, destruíam a vida de quem passasse por eles.

A sigla LGBT

A sigla LGBT foi adotada pelo Brasil em 2008 e significa: Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros). A letra T representa duas orientações sexuais diferentes: Travestis e Transexuais.

Antes que a sigla LGBT fosse adotada, há algum tempo atrás, utilizava-se a sigla GLS que significava: Lésbicas, Gays e Simpatizantes. Como a população LGBT ficou cada vez mais conhecida, reconheceu-se que haviam outras orientações sexuais.

Existe o termo LGBTI, no qual representa os Intersexuais, também. A Intersexualidade é pouco representada, especialmente no Brasil. Há um problema com o preconceito onde algumas pessoas LGBT têm estranhamento entre si.

Algumas dúvidas são frequentes, especialmente quando se trata de siglas ou então, qual pronome utilizar para chamar uma travesti, por exemplo, mas já esclarecendo a sua dúvida, quando se trata de travestis, utiliza-se o artigo “a”, pois ela se identifica como mulher.

Quando se trata de pessoas transgênero, isso vai depender muito da forma como ela se identifica na sociedade. Sendo assim, o pronome ou o artigo podem variar dependendo de como ela se identifica na sociedade.

O importante é que você tente identificar essas nomenclaturas para não cometer erros e soar desrespeitoso com as pessoas LGBT. O preconceito é algo que ainda existe e precisa ser combatido com bastante seriedade.

É muito provável que novas letras surgirão para complementar ainda mais o significado da sigla LGBT, fazendo com que mais pessoas tenham visibilidade na sociedade e consigam se unir à comunidade para que a luta contra o preconceito se torne ainda mais forte.

Estima-se que mais de 90% da população LGBT já sofreu preconceito alguma vez em sua vida. Há quem sofra até mesmo assédio em locais públicos por conta de sua orientação sexual. O problema do preconceito é cultural, é social, é de todos.

É necessário que o mundo acorde como um todo, que a maioria das pessoas que desejam o amor ao mundo e ao próximo prevaleçam nesta batalha. O preconceito é uma doença que assola o mundo todo, que nos acompanha desde os primórdios e precisa ter fim!