mascote
PUB


Fundo escuro com um buraco que ilustra um glory hole.

O glory hole vem sendo cada vez mais buscado para apimentar o tesão de solteiros e casais. Mas você sabe mesmo o que é? Lhe vamos explicar tudo sobre como funciona, onde fazer e como. 

A prática do glory hole se tornou muito falada durante a pandemia do Covid-19 . Autoridades de saúde dos EUA e do Canadá recomendaram a seus cidadãos que para evitarem o contágio com o vírus, deviam ser criativos e fazer sexo seguro, usando barreiras físicas, como paredes, para permitirem o contato sexual sem o face a face.

Essas notícias deixaram meio mundo excitado! Mas, realmente, o conceito de sexo anônimo com desconhecidos não é nada de novo.

A comunidade gay foi pioneira nisso há décadas! Ah! E se as paredes pudessem falar, muito haveria a contar...

Contudo, atualmente, mesmo entre heterossexuais, o glory hole é um sucesso. Muitos estão procurando viver essa aventura. Se é seu caso, continue lendo para saber tudo o que é importante.

Então, o que é o glory hole?

Glory hole é uma expressão em inglês que se refere, em termos simplistas, a um buraco feito na parede para um homem inserir seu pênis, recebendo, assim, atos sexuais praticados por um parceiro/parceiros anônimos.

Se trata de uma ideia bastante direta! Em português, poderíamos definir isso aí como sexo glorioso, numa tradução literal - e pode mesmo ser bem isso!

Mas como funciona?

Não é nada complexo, na verdade. A interação pode envolver apenas duas pessoas, ou mais. Se pode chupar alguém num glory hole enquanto se é penetrado por um terceiro que fique em outro "buraco", ou por alguém que esteja a seu lado na cabine.

A imaginação não tem limites! E tudo depende de como o tesão rola, ou ainda do local onde o glory hole ocorre.

Existem, atualmente, locais específicos para essa prática, como casas de swing, onde casais procuram interagir com singles ou com outros casais. Maridos cuckold ou adeptos do voyeurismo amam ver seus parceiros/parceiras se divertindo com outras pessoas. É uma delícia!

Mas a prática também ocorre em saunas ou até em cinemas para adultos.

Quem está fazendo?

O glory hole começou sendo um sucesso entre a comunidade gay mundial. Mas, atualmente, há homens e mulheres, heterossexuais, gays, lésbicas e bissexuais, trans e cis, intergênero ou abraçando qualquer outra orientação ou identidade de gênero que se estão envolvendo nessa fantasia.

Se você pensar em qualquer balada liberal, é um pouco semelhante - só faz o que sua vontade lhe mandar na altura.

Como apareceu isso do glory hole?

Essa história tem suas raízes nesses anos negros em que a homossexualidade era ilegal. Desse modo, a prática se fazia em ambientes mais clandestinos.

Mas foi em 1820 que a expressão foi registrada pela primeira vez, segundo alguns historiadores, quando era usada no âmbito da vida nos navios.

Porém, só na década de 1930 foi assumindo um significado mais sexual, começando por se referir a vagina. A seguir foi passando a denominar o "buraco" na parede ou em outra superfície tal como o conhecemos hoje.

Nos anos de 1950, foram surgindo glory holes em muitos locais frequentados por gays, como balneários. Com os anos, a prática se foi generalizando, chegando a clubes e outros espaços que estão sendo mais usados por heterossexuais.

Porquê todo esse interesse?

O anonimato é a grande pimenta dessa prática. Afinal, a adrenalina de fazer sexo com desconhecidos dá um imenso tesão - pelo menos, a algumas pessoas.

O glory hole tem esse lado de libertinagem e de liberdade. Não existem pressões sociais. Nem há isso do compromisso em jogo! As inseguranças sobre seu corpo se apagam. Não existe aquele receio de dizer a coisa errada, ou de ser você mesmo. Você não fica acanhado, nem tem pudor!

Naquele momento, existe apenas seu prazer e aquele glory hole que lhe protege o rosto e a identidade.

Como encontrar um glory hole para gozar gostoso?

Há cada vez mais espaços abrindo com essa possibilidade. Uma boa forma de ficar conhecendo esses locais é buscando no Google por "glory hole" e o nome de sua cidade, ou da cidade mais próxima.

Em sites como o Classificados X Brasil você também pode ficar encontrando anunciantes desse fetiche.

Algumas redes sociais e comunidades de swingers, ou de fetichistas, como o FetLife, podem também lhe indicar onde encontrar locais de glory hole no Brasil.

Existem riscos?

Essa prática consiste em um encontro sexual e, por isso, existem riscos de ISTs como em qualquer outro caso. Na verdade, existem ainda mais riscos por haver um ou mais desconhecidos do outro lado.

Veja que a qualidade de anônimo do parceiro é tão excitante quanto problemática. Por isso, cuide de sua saúde usando sempre camisinha.

Se estiver fazendo um glory hole em uma festa de sexo, ou num encontro privado onde todos se conhecem, se comunique antecipadamente com os outros participantes. É importante ter uma ideia do histórico sexual de qualquer potencial parceiro.

O que não deve fazer

Existe também uma espécie de "etiqueta" do glory hole que indica o que você não deve fazer. Lhe vamos indicar os principais erros a não cometer:

  • Nunca retire a camisinha de seu pênis durante o ato sexual
  • Evite desrespeitar a outra pessoa de qualquer jeito - não a force a fazer o que já disse que não quer
  • Não espere quem esteve no glory hole à saída, nem fique espiando quem entra no local
  • Evite beber demasiado nesse lugar, ou antes de entrar
  • Não leve grandes quantidades de dinheiro consigo
  • Evite aceitar bebidas e preservativos de desconhecidos.

E busque ajuda se se sentir um pouco perdido em sua primeira vez.

O que diz quem já meteu em um glory hole

Para você entender o que essa experiência representa, lhe vamos deixar os testemunhos de alguns homens que a vivenciaram na pele! Fique a par do que sentiram...

"Só tive uma garota me chupando uma vez em um glory hole. Mas vi outras garotas com seus caras nos fliperamas. Em uma vez, vi uma garota ser fodida por vários caras em um teatro adulto. Já vi casais nos cinemas outras vezes, mas nunca tive ação com eles."
João T., 27 anos

"Já fui umas centenas de vezes! Se não milhares! Estive em todo o país em muitas cabines para adultos com fliperamas, salas de sexo e glory holes. Adorei cada segundo!
Ernâni M., 45 anos

"Eu busco glory holes para chuparem meu pau. Não me importo se é homem ou mulher do outro lado, desde que eu goze. Eu também já chupei alguns paus em glory holes com uma amiga assistindo."
Marco L., 33 anos

E aí, já ficou convencido para meter seu pau, sua boca, sua buceta ou sua bunda, em um glory hole? Esse é um tabu cada vez menor, mas continua sendo algo muito excitante... e gostoso! Está já sentindo o tesão chegar só de pensar em transar com um desconhecido?